Ácaro-rajado

Tetranychus urticae
O ácaro-rajado, Tetranychus urticae, é uma das espécies de ácaros fitófagos mais nocivas para as culturas agrícolas, tanto pelo número de hospedeiros que infesta quanto pela intensidade dos danos causados. Na cultura do algodoeiro, as infestações por ácaro-rajado podem causar perdas tanto na produtividade quanto na qualidade das fibras e sementes. 
Baixar ficha técnica

CARACTERÍSTICAS

 

O ácaro-rajado apresenta dimorfismo sexual acentuado. As fêmeas são maiores do que os machos e apresentam o corpo ovalado, enquanto os machos apresentam a parte posterior do corpo mais afilada. A coloração dos adultos varia entre o verde-amarelo e o verde-escuro, com duas manchas dorsais escuras.

 

CICLO REPRODUTIVO

 

O ciclo de vida do ácaro-rajado envolve os estádios de ovo, larva, protoninfa, deutoninfa e adulto. As fêmeas tecem fios, onde depositam os ovos, que geralmente são esféricos, de cor amarelada. O período de incubação médio é de quatro dias. O ciclo de ovo a adulto se completa em cerca de 14 dias, e é favorecido por temperaturas altas e tempo seco.

 

DANOS À LAVOURA

 

As plantas de algodoeiro infestadas pelo ácaro-rajado apresentam folhas com manchas cloróticas ou avermelhadas, de pequena extensão, preferencialmente localizadas entre as nervuras principais, que se tornam posteriormente necróticas. Com o aumento da intensidade de infestação ocorre senescência prematura e desfolhamento.

 

CONTROLE E MANEJO

 

A utilização de defensivos químicos tradicionais é praticamente a única tática eficaz de controle do ácaro rajado, e deve ser efetuada de maneira a preservar os inimigos naturais e o meio ambiente e também evitar o desenvolvimento de populações resistentes.

 

IMPACTOS NA SOCIEDADE

 

A ocorrência de ácaros na cultura do algodoeiro pode ocasionar perdas no rendimento econômico, inclusive pelo aumento nos custos de controle.

Fonte:  UFMS

 

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio