Mofo-branco

Sclerotinia sclerotiorum
O mofo branco ou podridão branca da haste da soja é uma doença causada pelo fungo Sclerotinia sclerotiorum, também conhecido como Whetzelinia sclerotiorum. É um patógeno que pode infectar mais de 400 espécies, entre elas importantes culturas agrícolas, como alfafa, ervilha, batata, fumo, soja, girassol, tomate, algodão, canola e feijão comum.
Baixar ficha técnica

CARACTERÍSTICAS

 

O micélio do fungo é hialino, septado, muito ramificado, formando uma massa algodonosa na superfície dos órgãos atacados. As hifas vegetativas, inicialmente, desenvolvem-se de forma distanciada umas das outras. À medida que diminui a disponibilidade de  nutrientes, ocorre a atração e fusão de hifas, dando início à formação de escleródios. 

 

CICLO REPRODUTIVO

 

O fungo produz estruturas de resistência denominadas escleródios, dentro e na superfície dos tecidos colonizados, que retornam ao solo com os resíduos da cultura e são responsáveis pela sobrevivência do fungo. Os escleródios podem permanecer no solo por até 11 anos, conservando intacto seu poder patogênico. O fungo passa a colonizar flores, ramificações primárias, secundárias, vagens e folhas,  formando lesões aquosas seguidas de apodrecimento. Com a colonização dos tecidos, a doença segue para o final do ciclo.

 

DANOS À LAVOURA

 

O fungo ataca toda a parte aérea da planta, principalmente no início da floração ou após a polinização das flores. O primeiro indício da presença da doença é o aspecto murcho da planta. Nos órgãos infectados são encontradas lesões encharcadas, de coloração parda e consistência mole, com micélio branco de aspecto cotonoso, cobrindo os tecidos da planta. Esta doença pode causar grandes reduções no rendimento da cultura.

 

CONTROLE E MANEJO

 

O manejo do mofo branco deve combinar diversos métodos de controle, que visam a redução do inóculo (escleródios no solo) e/ou redução da taxa de progresso da doença. A semeadura em épocas corretas, isto é, nas quais o florescimento da cultura não coincide com as condições favoráveis ao desenvolvimento do fungo (alta umidade e temperaturas amenas) é outro aspecto importante.

 

IMPACTOS NA SOCIEDADE

 

O aumento da área infestada e os danos causados pelo mofo branco na cultura da soja, no Brasil, afetam o agronegócio. Atualmente, estima-se que 28,5% da área de soja cultivada no Brasil encontram-se infestadas pelo mofo branco, totalizando aproximadamente
10 milhões de hectares infectados. Em áreas com a presença do fungo a redução da produ-tividade pode atingir até 70%.

 

Fonte: EMBRAPA

 

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio