Lagarta-do-cartucho

Spodoptera frugiperda
A lagarta-do-cartucho, Spodoptera frugiperda, também conhecida como lagarta-militar, é um dos principais insetos-praga da cultura da soja no Brasil. Pode ocorrer tanto nos estádios iniciais de desenvolvimento da cultura quanto nos estádios mais avançados.
Baixar ficha técnica

CARACTERÍSTICAS

 

As lagartas exibem, inicialmente, coloração clara, passando para pardo escuro a esverdeadas até quase pretas. Apresentam três pares de pernas torácicas e cinco pares de falsas pernas, abdominais. Nascem com pouco mais de 1 mm de comprimento e podem atingir o máximo de 4,0 a 4,5 cm.

 

CICLO REPRODUTIVO

 

O inseto passa pelas fases de ovo, larva, pupa e adulto para completar seu ciclo de vida. A capacidade reprodutiva da lagarta-do-cartucho é bastante alta. As fêmeas são capazes de realizar de cinco a seis posturas na face abaxial das folhas de soja, contendo de 200 a 300 ovos. A eclosão das larvas ocorre de dois a três dias após a oviposição.

 

DANOS À LAVOURA

 

A lagarta-do-cartucho pode causar danos em todos os estádios de desenvolvimento da soja. Na fase inicial, ataca a região do colo, cortando as plantas na base, o que provoca morte ou perfilhamento e prejudica o estabelecimento da cultura no campo. Eventualmente, se alimenta das flores e vagens e dependendo da intensidade do ataque, pode haver perdas de produtividade.

 

CONTROLE E MANEJO 

 

Para o controle da lagarta-do-cartucho, é importante adotar o manejo integrado de pragas (MIP) na propriedade. São medidas que, além de atuarem no controle das lagartas, também contribuem na prevenção de infestações e auxiliam no manejo de resistência de insetos.

 

IMPACTOS NA SOCIEDADE

 

Os danos causados pela lagarta-do-cartucho normalmente são controlados com produtos químicos sintéticos que, além de aumentarem os custos de produção, podem poluir o ambiente e deixar resíduos nos alimentos.

Fonte: EMBRAPA

 

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio