Meio de safra: Ainda existe a possibilidade de ganhar ATR com o maturador?

25/06/2021
Cultura • Cana-de-Açúcar

Na atualidade, ter um canavial vistoso e produtivo não significa somente ter um canavial que apresente boa produção de biomassa. É preciso também conquistar boa qualidade na agroindústria, ou seja, capacidade de maturação, produção e acúmulo de sacarose, o chamado ATR (Açúcares Totais Recuperáveis).

 

O processo de maturação da cana-de-açúcar pode ser definido como o processo fisiológico que envolve a formação de açúcares nas folhas e seu deslocamento e armazenamento no colmo. Porém, geralmente há a necessidade de uso de maturadores que induzem o amadurecimento de plantas, com consequente aumento do ATR.

 

Atualmente, o maior mercado de maturadores é o de início de safra, que concentra 85% das aplicações. Porém, já estamos no meio da safra! Assim fica a questão: o uso de maturadores ainda é uma boa possibilidade?

 

Maturador de cana-de-açúcar: Porque são necessários?

 

A maturação da cana-de-açúcar é um processo que ocorre de maneira natural, em períodos de menor disponibilidade hídrica e/ou temperaturas amenas,  e, a planta de cana-de-açúcar acaba sofrendo um estresse, por consequência reduz sua síntese de hormônios para crescimento e reequilibra seu metabolismo, com isso os fotoassimilados são direcionados para promover maior acúmulo de sacarose.

 

Para que esse processo ocorra, a planta precisará durante seu ciclo, de luz e água em quantidade elevada, além de uma nutrição mais equilibrada. Entretanto, alguns desses fatores podem não acontecer da forma desejada.

 

Para resolver isto e induzir a planta a entrar em seu estágio de maturação ideal são utilizados os maturadores da cana-de-açúcar. Maturadores são caracterizados como produtos químicos que induzem o amadurecimento de plantas, causando, assim, a translocação e o armazenamento dos açúcares na planta.

 

São utilizados para antecipar e otimizar o planejamento da colheita, pois proporcionam aumento nos níveis de ATR, além de permitir a manutenção desses índices por um período maior.

 

Os maturadores contribuem com as três etapas de desenvolvimento do canavial

 

Os resultados obtidos com o uso de um maturador costumam ser variáveis de acordo com a época de aplicação, caso do início, meio e final de safra.

 

Quando aplicados em início de safra, o canavial se encontra em crescimento vegetativo, e, os maturadores, atuam no metabolismo das plantas promovendo a precocidade da maturação, incremento do teor de sacarose nos colmos. Por consequência aumentam a produtividade de açúcar.

 

Em meio de safra, o canavial se encontra no momento de maturação natural, em que os maturadores atuam potencializando o máximo de sacarose em variedades que ainda não estejam no pico de maturação.

 

Já a aplicação dos maturadores em final de safra tem por função inibir a retomada do crescimento vegetativo. Com isso, há a manutenção do teor de sacarose elevado por mais tempo, possibilitando melhor manejo da colheita do canavial.

 

Mas, independentemente da época, um bom manejo com maturadores certos é fundamental, pois eleva a qualidade tecnológica da matéria-prima e, consequentemente, permite maior rendimento agroindustrial.

 

Os maturadores podem incrementar de 5% a 8% o teor de ATR da cana-de-açúcar, com essa variação dependendo do potencial produtivo da variedade e da época em que os produtos são utilizados.

 

Riper: Maturador de cana da IHARA com bons resultados no meio da safra

 

Em relação ao uso de maturador no meio de safra, não é muito comum o uso desses produtos, pois nos meses de, junho, julho e agosto a cana sofrerá um stress natural, seja por falta de umidade ou por queda na temperatura. Isso faz com que ela deixe de crescer e passe a acumular sacarose naturalmente.

 

Porém, há casos onde o maturador pode ser necessário principalmente no planejamento da colheita. Quando temos se têm essa necessidade, o uso do RIPER permite a obtenção do máximo possível de ATR. Empresas da área indicam que a aplicação de maturadores químicos no meio da safra pode representar uma boa possibilidade.

 

Isso é importante para contornar a ocorrência de chuvas atípicas que podem fazer com que a planta volte a crescer. O maturador funciona como um alerta para a planta: “continue concentrando açúcar porque essa não é a hora de crescer”.

 

Assim, para que o ATR não sofra quedas nesse período é importante adotar o maturador certo, como o Riper, desenvolvido pela IHARA, fabricante de defensivos agrícolas e com grande participação no mercado brasileiro.

 

Riper proporciona ao agricultor tanto a opção da colheita antecipada como a colheita tardia da cana, pois aumenta os níveis de ATR a partir da segunda semana após aplicação e os mantém estáveis por um período maior.

 

Esse produto tem grande flexibilidade de uso janela de colheita de 15 a 45 dias, auxiliando o gerenciamento da colheita e transformando a energia de crescimento em sacarose de maneira rápida e eficaz.

 

Assim, nos meses relacionados ao meio da safra, principalmente quando há a ocorrência de chuvas fora de hora ou necessidade de potencializar o ganho e até mesmo gestão da cana de açúcar para indústria, o maturador da IHARA poderá ser utilizado no canavial, trazendo muitos benefícios.

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio