Dicas para fazer o manejo integrado da requeima na batata

14/06/2021
Cultura • Batata

Do ponto de vista econômico, a batata é a principal hortaliça cultivada no Brasil, apresentando uma produção anual média de 3,5 milhões de toneladas em cerca de 130 mil hectares plantados. Porém, a produção poderia ser ainda maior, se não fossem os prejuízos provocados por microrganismos causadores de doenças.

 

Uma dessas doenças, talvez a mais comum, é a requeima, cujo agente causador é o oomiceto Phytophthora infestans. Essa doença pode comprometer todo o campo de produção de batata em poucos dias, sendo um problema de grande importância em todo o mundo.

 

Com rápido desenvolvimento e alto potencial destrutivo, a requeima é uma ameaça muito grave na grande maioria dos sistemas de produção da batata. Exatamente por isso, é bastante comum adotar estratégias relacionadas ao manejo integrado dessa doença na batata, garantindo maior controle e manutenção da produtividade da cultura.

 

 

Requeima em campos de batata. Alto poder de devastação da lavoura

A lavoura de batata pode ser afetada por uma série de doenças capazes de limitar a produção e qualidade dos tubérculos, elevando assim os prejuízos de produtores. Dentre essas doenças, a requeima é a principal, pois apresenta um alto potencial de devastação, destruindo completamente (e em questão de dias) as lavouras de batata, a ponto de inviabilizar a colheita, principalmente se o manejo não ocorrer da forma correta.

 

Os sintomas da doença são variáveis, apresentam manchas irregulares e de cores escuras. Em condições de alta umidade e baixas temperaturas, essas manchas aumentam de tamanho e apresentam aspecto encharcado, de coloração escura, amarronzada a preta. Estes sintomas rapidamente evoluem para a necrose dos tecidos e morte dos folíolos, causando aspecto similar a queima da folha.

 

Além disso, outros dois fatores – molhamento foliar e temperaturas amenas entre 7,2 a 26,6 °C – favorecem a esporulação do patógeno, o que pode ser notado pela observação de crescimento esbranquiçado na face inferior da folha.

 

Vale salientar também que cultivares suscetíveis ou com baixa resistência, associado a estas condições ambientais, podem elevar o volume de perdas, o que justifica a adoção de práticas de controle integrado dessa doença na batata.

 

 

 O manejo integrado da requeima é fundamental para reduzir riscos

A requeima pode ocorrer em qualquer fase da cultura da batata exigindo, portanto, um acompanhamento contínuo da lavoura. Por essa razão, o manejo dessa doença é essencial para que o produtor consiga reduzir seus riscos, aumentar a produtividade e a qualidade da colheita.

 

Esse manejo deve ocorrer de forma integrada, ampla e sempre que possível preventiva. Assim, diferentes métodos de controle devem ser usados na lavoura. Como primeira medida, cabe ao produtor fazer uso da rotação de culturas e evitar que o plantio seja feito em áreas passíveis de encharcamento e neblina, evitando irrigações excessivas.

 

Também há a recomendação de utilizar batata-semente de boa procedência e livre da requeima, com o plantio não sendo realizado em áreas com circulação de ar limitada e próximo a lavouras em final de ciclo.

 

O plantio adensado também deve ser evitado, pois possibilita maior acúmulo de umidade na folhagem e, consequentemente, favorece a requeima.

 

Por fim, a aplicação preventiva de fungicidas é mais uma ótima estratégia de manejo para controle da P. infestans. Essa medida, quando associada às práticas anteriormente mencionadas, melhora a eficiência no manejo da requeima em batata.

 

Tais insumos devem ser utilizados de forma preventiva a partir da emergência da cultura, com o produtor devendo considerar alguns cuidados para assegurar a efetividade da tecnologia, com a aplicação sendo guiada pelas recomendações do fabricante quanto à dose, volume, momento da aplicação, intervalo e número de pulverizações.

 

 

Fungicidas IHARA: alta performance no controle da requeima na batata

Atualmente o bataticultor se vê pressionado para buscar a máxima eficiência e produtividade de sua lavoura, por isso a utilização de fungicidas torna-se uma medida fundamental dentro do manejo integrado.

 

No entanto, por muito tempo, uma das principais dificuldades encontradas pelo produtor no manejo integrado da requeima relaciona-se à aplicação de produtos eficientes no momento correto, evitando que a doença se alastre.

 

Para ajudar na solução desse problema, a IHARA oferece ao bataticultor dois produtos fungicidas com ampla capacidade de controle da requeima. COMPLETTO E TOTALIT.

 

Ambos produtos apresentam a vantagem de controlar todas as fases do ciclo de vida da requeima com alta eficiência de controle.

 

Totalit deve ser preferencialmente utilizado no momento em que as condições climáticas começam a se tornar favoráveis ao desenvolvimento da requeima, quando a temperatura está mais amena e umidade relativa do ar mais baixa e durante a fase de ampla expansão foliar da cultura da batata.

 

Já o Completto é um produto que preferencialmente deve ser utilizado a partir do momento que as condições se tornam favoráveis até a condições de extrema favorabilidade à ocorrência da doença.

 

Ambos produtos apresentam proteção e controle através de uma ação sistema e também podem ser aplicados em qualquer fase do ciclo de desenvolvimento da cultura.

 

Por meio destes fungicidas modernos e inovadores, o produtor conseguirá realizar o melhor manejo de requeima, mesmo em condições climáticas favoráveis ao aparecimento da doença.

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio