Teste

Controle de daninhas na pré-emergência é excelente estratégia para canaviais mais rentáveis

19/04/2022
Cultura • Cana-de-Açúcar
Controle de daninhas na pré-emergência é excelente estratégia para canaviais mais rentáveis

Controle de daninhas na pré-emergência é excelente estratégia para canaviais mais rentáveis

 

Capim-colonião, capim-colchão, capim-braquiária, corda-de-viola, mucuna e melão-de-São-Caetano são algumas das daninhas que tiram o sossego do produtor de cana-de-açúcar. Consideradas vilãs dos canaviais, as daninhas podem causar perdas de até 85% na produtividade em áreas de altos índices de infestação, com 10 a 12 plantas daninhas por metro quadrado.

 

Estima-se que mais de 14 milhões de hectares sofram com plantas daninhas no Brasil.  Segundo dados da consultoria Spark Smarter Decisions, para evitar perdas, o setor sucroenergético investe US$ 729 milhões por ano em herbicidas.

 

Para não perder dinheiro, o produtor deve conduzir o canavial no limpo, sem a presença de mato. Isso é ainda mais importante na formação do canavial, para evitar que a cana sofra com a matocompetição inicial.

 

Neste artigo vamos trazer as vantagens do controle das daninhas da cana na pré-emergência e como conduzir o canavial no limpo desde o começo traz vantagens para os produtores. Acompanhe!

 

Daninhas na cana-soca: perdas diretas e indiretas

 

Na cana-soca as daninhas causam efeitos diretos, como a competição e a alelopatia, o que traz a perda de rendimento. Como efeitos indiretos, elas aumentam o custo de produção, dificultam a colheita, depreciam a qualidade e quantidade do produto para a indústria e ainda hospedam pragas e doenças.

 

Para evitar esses problemas, os canavicultores precisam fazer um bom manejo, realizando o tratamento preventivo para o próximo ciclo com um herbicida pré-emergente.

 

Herbicidas pré-emergentes

 

O uso de produtos químicos é uma das principais ferramentas para o controle das plantas daninhas. A aplicação desses herbicidas se divide normalmente em duas fases: pré-emergência e pós-emergência.

 

Os herbicidas pré-emergentes, como o próprio nome já diz, são aplicados antes mesmo das daninhas emergirem, ou seja, aparecerem nos canaviais. Por isso, são usados na superfície do solo, logo após o plantio. Já os herbicidas pós-emergentes são utilizados após as daninhas emergirem na lavoura.

 

Atualmente no Brasil, cerca de 75% das aplicações de herbicidas são feitas na pós-emergência. Mas para Pedro Jacob Christofooleti, professor, consultor em manejo de plantas daninhas e pesquisador da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP), os produtores precisam utilizar os herbicidas pré-emergentes, pois são eles que vão eliminar a matocompetição inicial.

 

O professor explica que os herbicidas pré-emergentes oferecem flexibilização para os produtores, já que com o uso deles o mato nasce mais fraco e em menor quantidade, permitindo que a aplicação dos produtos pós-emergentes seja retardada.

 

Alta tecnologia para manter canavial limpo por mais tempo: o futuro chegou!

 

Para o controle efetivo das daninhas não tem jeito, o produtor precisa investir em tecnologia, ou seja, em herbicidas que vão conseguir manter o canavial limpo por mais tempo e vencer a resistência das daninhas.

 

O uso de herbicidas com residual, principalmente na abertura de safra, é considerado uma excelente estratégia pelos especialistas, além da aplicação de produtos seletivos.

 

Para quem acha que produtos que agreguem todas as essas características são coisas para o futuro, está bastante enganado. O futuro já chegou e a IHARA lançou RITMO e FALCON, produzidos a partir de molécula inédita no Brasil, trazida do Japão.

 

RITMO e FALCON têm revolucionado o controle das daninhas, atuando na fase de pré-emergência. O FALCON foi desenvolvido especificamente para o mercado de cana. O produto realiza o controle das daninhas de folhas largas e estreitas no momento da cana úmida. Já o RITMO tem formulação moderna e é indicado para ser usado na época da seca no controle de mucuna, mamona e daninhas de folhas estreitas.

 

A IHARA oferece um portfólio completo de produtos para uma canavicultura mais eficiente e sustentável. Para manter a produtividade e rentabilidade dos canaviais, porém, os produtores precisam estar atentos para reconhecer as principais daninhas que atacam a sua região e o tipo de solo da sua propriedade, além de ter conhecimento das características físicas e químicas dos herbicidas.

 

Fique atento ao nosso blog! Receba dicas sobre como manejar corretamente sua lavoura e saiba o que há de melhor em tecnologia no mercado para que seu cultivo esteja protegido!

 

 

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio