Mancha-de-alternaria

Alternaria solani
A mancha-de-alternaria, cujo agente causal é o fungo Alternaria solani, é uma das doenças mais frequentes e importantes da cultura do tomate, responsável por consideráveis perdas de produção em diversas regiões do mundo, podendo atingir 100% da produção caso não sejam empregadas medidas para o seu controle.
Baixar ficha técnica

CARACTERÍSTICAS

 

Os conídios jovens de Alternaria solani são hialinos, geralmente medem 50 x 12 μm, são alongados a ovoides, têm número de septos variável entre 3 a 6.

A germinação do patógeno ocorre em ampla faixa de temperatura, de 6 a 32°C. Contudo, as temperaturas mais favoráveis situam-se entre 28 e 30°C.

 

CICLO REPRODUTIVO

 

Alternaria solani sobrevive entre um cultivo e outro em restos de cultura infectados, associada à matéria orgânica do solo, em solanáceas suscetíveis ou ainda nas sementes. A colonização é intercelular, invadindo tecidos do hospedeiro e provocando alterações em diversos processos fisiológicos, que se exteriorizam na forma de sintomas. Em condições de campo, as lesões surgem 3 a 5 dias após a inoculação, todavia em condições controladas pontuações negras podem ser verificadas 24 h após a inoculação.

 

DANOS À LAVOURA

 

A pinta-preta apresenta alto potencial destrutivo, com incidência sobre folhas, hastes, pecíolos e frutos, ocasionando elevados prejuízos econômicos. O estádio avançado da doença é caracterizado pela redução da área foliar e do vigor da planta, com quebra das hastes, queda dos frutos e morte das plantas.

 

CONTROLE E MANEJO

 

O controle químico da pinta-preta deve ser realizado por meio de aplicações preventivas de fungicidas de contato no início do período vegetativo e do uso alternado de fungicidas sistêmicos e de contato a partir do aparecimento dos primeiros sintomas (florescimento e frutificação).

 

IMPACTOS NA SOCIEDADE

 

O tomate é considerado a segunda hortaliça mais consumida no mundo e a principal hortaliça cultivada no Brasil, perdendo apenas para a batata. Essa cultura tem grande importância socioeconômica em todo o país, principalmente nas regiões Sudeste e Centro-Oeste.

No entanto, as doenças do tomateiro, como a pinta-preta, são responsáveis por grandes prejuízos econômicos, e seu controle representa o principal custo de produção da cultura.

 

Fonte: Instituto Biológico

 

Culturas que atinge

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio