Teste

Saiba mais sobre o Manejo Integrado das pragas do algodão

13/12/2021
Cultura • Algodão
Saiba mais sobre o Manejo Integrado das pragas do algodão

Manejo integrado das pragas do algodão

 

O algodão está entre as mais importantes culturas do agronegócio. E o Brasil tem um papel fundamental neste contexto, pois é o quarto maior produtor da fibra no mundo, com uma produção que ultrapassa 2 milhões de toneladas por ano. Por isso a preocupação com a qualidade e proteção das lavouras contra pragas é frequente para os cotonicultores.

 

 

E quando falamos em pragas do algodão, a primeira que vem à cabeça é o bicudo, que pode causar prejuízos de até 60% da produtividade. Porém não é só esse inseto que traz danos à cultura, já que ainda há a presença de ácaros e doenças. O controle destes problemas não está relacionado apenas à aplicação de inseticidas, mas também ao entendimento de como manejar o ambiente como um todo.

 

 

A seguir, vamos entender melhor sobre técnicas de manejo e medidas de controle contra as principais pragas do algodão.

 

 

Afinal, por que a cultura sofre tantos ataques?

 

 

O algodão é alvo de muitas pragas e o motivo para isso é simples: há plantio da cultura por um período prolongado. Desta forma, é comum identificar, durante todo o ciclo de desenvolvimento do algodão, inúmeras pragas que podem limitar a sua produtividade.

 

O uso de inseticidas é amplamente usado para eliminar as pragas, porém com o crescimento das exigências relacionadas à sustentabilidade agrícola, uma forma de controle tem se tornado cada vez mais popular: o manejo integrado. O primeiro passo é monitorar as pragas, assim identificando sua densidade e a intensidade de seu ataque.

 

O manejo integrado de pragas atualmente é a melhor forma de controle para diminuir os custos e não deixar que a produtividade seja reduzida. Medidas simples como a escolha de cultivares de ciclo mais curto, por exemplo, são muito eficientes, aliadas com o manejo da lavoura, época de plantio mais adequado e espaçamento correto, tem um resultado positivo no controle das pragas do algodão. Para você eliminar as pragas da cotonicultura, existem cinco passos fundamentais:

 

 

1 – Faça a rotação de culturas: esse processo ajuda na melhor estruturação do solo e, consequentemente, em uma melhor drenagem. Essa técnica também irá auxiliar a reduzir os custos com pragas e doenças da cultura.

 

2 – Plante no limpo: o algodão é uma cultura muito sensível a matocompetição, por isso seu plantio deve ser feito no limpo, ou seja, sem a presença de plantas daninhas.

 

3 – Prepare o solo: solos médios a argilosos fazem com que o algodão tenha um melhor desempenho.

 

4 – Variedades: escolha sementes tolerantes a pragas e doenças, pois isso pode interferir diretamente no estabelecimento da cultura.

 

5 – Levante os custos: faça o planejamento dos custos para o plantio do algodão, incluindo sementes, defensivos agrícolas, colheita, etc.

 

 

 

Vale ressaltar que o manejo integrado de pragas e doenças é uma forma de equilibrar o combate aos inimigos da produtividade do algodão e boas práticas agrícolas ligadas à sustentabilidade, mantendo o desempenho da lavoura, rentabilidade do produtor e preservação ambiental.

 

 

Para ver outras notícias sobre a cultura do algodão, clique aqui. Conheça a solução completa da IHARA para algodão.

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio