Manejo e controle de vaquinha na batata: Qual a melhor estratégia?

01/11/2021
Cultura • BatataBatata YaconBatata Doce

 

 

No Brasil, a batata caracteriza-se como uma das hortaliças de maior importância econômica, com uma produção anual de aproximadamente 3,5 milhões de toneladas em uma área com cerca de 130 mil hectares.

 

Porém, independentemente do tamanho da área produtiva desta cultura, é fundamental que o produtor priorize o manejo de pragas, doenças e plantas daninhas, pois causam perdas expressivas ao cultivo. Dentre todos esses problemas, a vaquinha (Diabrotica speciosa) merece atenção especial, pela sua alta capacidade de causar danos econômicos.

 

Este inseto se faz presente em praticamente todos os estados brasileiros e possui o potencial de causar desfolha total e redução da qualidade do tubérculo da batata, reduzindo significativamente a produtividade.

 

Por isso, a adoção de estratégias de manejo para um melhor controle da vaquinha da batata, representa uma clara exigência por parte de produtores, que visam obter maior produtividade de suas lavouras.

 

Vaquinha na batata: entendendo mais sobre este inseto

A vaquinha é uma praga polífaga, ou seja, afeta uma grande quantidade de culturas, dentre elas: o feijão, milho, soja, diversas hortaliças e a batata. Na batata, ela tem potencial de causar danos nos tubérculos, através do estágio larval (larva-alfinete), como nas folhas, causados pelo inseto na fase adulta.

 

As larvas atacam os tubérculos, causando perfurações, fato que deprecia e dificulta a comercialização do produto final. Tais danos podem ser diretos, através dos pequenos orifícios no tubérculo, ou indiretos, por meio da entrada de patógenos por esses orifícios.

 

Já o inseto, por possuir aparelho bucal mastigador, ataca as folhas, causando severa desfolha e, consequente, redução da área foliar e queda na produtividade.

 

Vale lembrar que com o aumento do plantio de soja transgênica (OGM), que representa cerca de 98% da área de soja cultivada no Brasil, o produtor conseguiu reduzir suas aplicações de inseticidas. Porém, isso faz com que a cultura da soja se torne hospedeira da vaquinha, que pode migrar para os campos de batata com plantio ocorrendo em regiões adjacentes dos campos de soja.

 

No entanto, a vaquinha não causa danos diretos aos grãos (vagens), assim, essa praga é secundária dentro das ações de manejo de pragas na soja. Porém para a batata, este inseto se faz presente em todos seus estágios fenológicos, desde o desenvolvimento inicial e nas primeiras hastes até a colheita.

 

Dessa forma, a D. speciosa é uma praga que apresenta altos índices de infestação e danos na cultura da batata, tornando a adoção de medidas de controle ainda mais crucial para uma boa resposta produtiva da lavoura.

 

Medidas de controle para melhor manejar a vaquinha na batata

Na batata, o controle de larvas de D. speciosa se dá, geralmente, através da utilização de inseticidas químicos. Essa estratégia tem sido muito eficaz para os produtores que produzem e atendem tanto o exigente mercado atacadista quanto o industrial.

 

Assim, o uso de inseticidas químicos aplicados via tratamento de tubérculos-semente, granulados ou pulverizados no sulco de plantio são considerados os métodos de controle mais empregados no Brasil em áreas com histórico de ocorrência da praga, apresentando excelentes resultados.

 

Mas, assim como acontece com muitas outras culturas sujeitas ao ataque de diferentes pragas, um controle eficiente da vaquinha, depende da utilização de um conjunto de técnicas disponíveis, e um programa de manejo de pragas eficiente, a fim de manter a população da praga abaixo do nível de dano econômico.

 

Na estratégia de manejo, o monitoramento torna-se imprescindível, podendo ser feito com o uso de armadilhas luminosas e/ou com feromônio. Além disso, uma característica dessa praga é a distribuição em reboleiras, o que facilita o monitoramento.

 

Eleitto, da IHARA: Amplo espectro de ação no controle da vaquinha na batata

Conhecer bem o histórico e as condições da área de plantio, e implementar as melhores técnicas de manejo desde o início do cultivo, aliado ao uso de produtos químicos de alta performance do mercado, sendo atividades chave para o manejo eficiente deste importante alvo que causa sérios problemas à cultura da batata.

 

Neste contexto, o Eleitto representa o que há de mais moderno no controle de um amplo espectro de pragas na batata, como a vaquinha. Este inseticida é uma tecnologia inovadora da IHARA, desenvolvida especificamente para diversos cultivos hortifrútis.

 

Considerado um grande aliado dos produtores de batata, esse inseticida multipragas apresenta amplo espectro em diferentes alvos, com ação de choque e longo período de controle. O Eleitto pode ser aplicado via terrestre ou aérea em qualquer fase da cultura.

 

O inseticida da IHARA é também seguro para aplicações próximas à colheita, tendo também suporte de limite máximo de resíduos (LMR) para as principais culturas de exportação. Tal fato, faz desse inseticida uma alternativa bastante viável para produtores de batata que comercializam sua produção para os mercados mais exigentes do mundo. Dessa forma o bataticultor possui flexibilidade, customizando o manejo, trazendo sustentabilidade para o cultivo.

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio