Período seco exige cuidados específicos com as daninhas na soqueira da cana

31/08/2021
Cultura • Cana-de-Açúcar

A cana-de-açúcar é uma das principais commodities brasileira e o cultivo necessita de manejo adequado para as épocas de soqueira, para que possa resultar em altas produtividades, e o controle das principais plantas daninhas que acometem o canavial se faz necessário no período seco do ano.

 

O manejo com herbicidas pré-emergentes é de suma importância e a IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento de defensivos agrícolas, disponibiliza ao canavicultor o Ritmo, herbicida com molécula inovadora que inibe a emergência de daninhas de folhas largas e estreitas, além das gramíneas, sendo um produto com alta eficiência de transposição da palhada e sem volatilidade quando usado próximo a culturas sensíveis.

 

A região Centro-Sul do País, responsável por 90% da produção canavieira, vem enfrentando um período severo de seca em uma época em que as chuvas já não são tão frequentes. Neste período, a cana-soca necessita de cuidados preventivos para o controle das plantas daninhas que terão grande período de infestação na época das águas.

 

Algumas daninhas tornam-se grandes problemas para o agricultor, caso não sejam controladas com antecedências como, por exemplo, corda-de-viola, mucuna e mamona – de folhas largas e de difícil controle. Dentre as gramíneas que infestam a cultura da cana-de-açúcar, destacam-se as gramíneas forrageiras capim-braquiária e capim-colonião, além do tradicional capim-colchão que sempre está presente nos canaviais.

 

“A colheita mecanizada e a formação de palhada sobre o solo traz benefícios agronômicos interessantes ao sistema de produção de cana, como conservação de solos e preservação da umidade. Porém, com isso, há um incremento na infestação de folhas largas de difícil controle e o herbicida Ritmo, uma formulação de alta performance, tem como espectro a inibição da germinação dessas espécies. Assim, o produtor não necessita trabalhar em repasses e fazer a tão indesejada aplicação de pré-colheita das plantas daninhas, quando o prejuízo já ocorreu. Essa tecnologia apresenta ainda proteção contra as principais gramíneas como capim-braquiária, capim-colonião, capim-colchão e outras daninhas estreitas em soqueiras de cana-de-açúcar. Outra vantagem desse produto é que ele transpõe a palhada com facilidade, pois apresenta estabilidade em sua formulação mesmo que após a sua aplicação ocorra um longo período antes da primeira chuva ou irrigação”, avalia Luciano Antoniol, Gerente de Marketing Regional da IHARA.

 

Para o professor Pedro Christoffoleti, pesquisador e consultor especializado no setor, a proteção do canavial contra as daninhas de difícil controle é imprescindível. “Em casos de infestação leve o canavial pode sofrer até 30% com a perda de produtividade, mas, em casos mais altos de infestação, as perdas podem ocorrer na ordem de 50%”, explica Christoffoleti.

 

O pesquisador esteve à frente de estudos de caso do produto em áreas experimentais e reforça a qualidade de Ritmo aplicado na palhada. “A transposição do herbicida Ritmo na palhada da cana é muito eficiente. É importante salientar que trata-se de um produto que pode ser usado em qualquer ambiente de produção, pois não há volatilidade quando utilizado próximo a culturas sensíveis”, pontua.

 

Segundo as pesquisas, Ritmo é um herbicida que combina a excelente seletividade, permitindo ao produtor a possibilidade de aplicação segura sem riscos de fitotoxicidade, protegendo a produtividade do canavial.

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio