O controle prévio de folhas largas e estreitas no canavial determina o sucesso da produção

01/10/2021
Cultura • Cana-de-Açúcar

As plantas indesejáveis podem causar grandes perdas no canavial, caso não haja o devido controle, podendo chegar até 50% de prejuízo na produtividade da lavoura.  A matocompetição concorre diretamente por nutrientes, água e luz, reduzindo a qualidade e a quantidade do material colhido.

 

Para o atual período seco em que o canavicultor enfrenta, a IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento de defensivos agrícolas, possui o Ritmo, produto pré-emergente de amplo espectro que inibe a proliferação de folhas largas de difícil controle e gramíneas. Ritmo é um produto com excelente comportamento em cana soca, pois quando aplicado, ele permanece sobre a palha ou o solo mesmo durante a seca, sem ser degradado e, quando as chuvas vierem o produto ainda estará ativo para o controle das plantas daninhas.

 

Entre as plantas de folhas largas mais comuns, podemos citar a mamona, mucuna e merremias, de hábito trepador, e também a corda-de-viola e bucha, que raramente eram vistas nos canaviais, mas que agora se fazem presentes.

 

Há também a Tiririca (Cyperus rotundus), que, mesmo após muitos anos de estudos, experimentação e estratégias de controle, ainda permanece como um sério problema para o canavial.

 

Já entre as gramíneas podemos destacar a braquiária, capim colchão e capim colonião, que necessitam de um produto seletivo, podendo ser controladas pelo Falcon, produto pré-emergente desenvolvido especialmente para a cana-de-açúcar. O produto pode ser aplicado em todos os estágios – cana planta, cana planta com muda pré-brotada ou cana-soca.  Seu longo período de efeito é um diferencial que agrega na produtividade, pois permite que o canavial tenha seu fechamento sem competição com as principais gramíneas.

 

“Tanto Ritmo quanto Falcon, são dois excelentes produtos para o controle das principais plantas daninhas que competem com a produtividade da cana-de-açúcar. São produtos altamente seletivos, testados e aprovados pelos principais pesquisadores no setor e ambos controlam a infestação do complexo de daninhas que são comuns no canavial, seja de folhas largas ou gramíneas”, avalia Luciano Antoniol, Gerente de Marketing Regional da IHARA.

 

O momento de mercado que as usinas e os fornecedores de cana-de-açúcar atravessam é positivo, pois os preços pagos estão em alta. Porém, para que o canavial expresse seu máximo potencial na colheita, o produtor deve investir na prevenção e utilizar produtos qualificados.

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio