Teste

Como proteger o canavial de plantas daninhas no período semi-seco

19/04/2022
Cultura • Cana-de-Açúcar
Como proteger o canavial de plantas daninhas no período semi-seco

Como proteger o canavial de plantas daninhas no período semi-seco

 

Uso de herbicidas é recomendado para evitar danos à cultura

 

O período semi-seco é a época ideal para realizar o controle de plantas

daninhas nas lavouras de cana-de-açúcar. O manejo preventivo evita

infestações nos canaviais, que podem comprometer a produtividade no campo, causando perdas que podem variar de 30% a 50%. Por isso, especialistas recomendam a utilização de herbicidas, principalmente, na fase que antecede as grandes secas no Centro-Sul do país.

 

A ausência de chuvas, a irrigação e a fertirrigação levam à germinação do banco de sementes de plantas daninhas no solo, principalmente no período de grandes secas, quando ocorre a colheita da cana. Nessa fase, é observado um grande volume de sementes nos canaviais e a sua germinação ocorre de forma extremamente rápida, gerando prejuízos aos produtores.

 

As principais espécies de plantas daninhas que costumam gerar problemas aos produtores de cana-de-açúcar são a corda-de-viola, mucuna e mamona.

 

As daninhas de folhas largas, conhecidas como cordas, conseguem subir na cana e, ao se desenvolverem, dificultam o crescimento da cultura. Além disso, elas podem atrapalhar a colheita, causando danos mecânicos às máquinas.

Dentre as gramíneas que infestam a cultura da cana-de-açúcar, destacam-se as forrageiras capim-braquiária e capim-colonião, além do tradicional capim-colchão, que sempre está presente nos canaviais. Elas apresentam grande capacidade de germinar, desenvolver-se e proliferar em diferentes condições de clima e solo.

 

Controle

 

O manejo com herbicidas pré-emergentes é de suma importância e a IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento de defensivos agrícolas, disponibiliza ao canavicultor o Ritmo, herbicida com molécula inovadora que inibe a emergência de daninhas de folhas largas e estreitas, além das gramíneas, sendo um produto com alta eficiência de transposição da palhada e sem volatilidade quando usado próximo a culturas sensíveis.

 

O herbicida Ritmo conta com uma formulação de alta performance que tem como espectro a inibição da germinação de diversas espécies, como na infestação de folhas largas de difícil controle. Assim, o produtor não necessita trabalhar em repasses e fazer a tão indesejada aplicação de pré-colheita para eliminar plantas daninhas, quando o prejuízo já ocorreu.

 

Essa tecnologia apresenta ainda proteção contra as principais gramíneas como capim-braquiária, capim-colonião, capim-colchão e outras daninhas estreitas em soqueiras de cana-de-açúcar. Outra vantagem do Ritmo é que ele transpõe a palhada com facilidade, pois apresenta estabilidade em sua formulação, mesmo que após a

aplicação ocorra um longo período antes da primeira chuva ou irrigação

 

Segundo pesquisas, o Ritmo é um herbicida com excelente seletividade, permitindo ao produtor a possibilidade de aplicação segura sem riscos de fitotoxicidade, protegendo a produtividade da lavoura.

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio