Teste

A fim de que os produtores possam se programar para a próxima safra, especialistas da empresa apresentarão tecnologias de ponta para o controle dos principais detratores de produtividade da citricultura.

 

A IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento de defensivos agrícolas, marca presença na 49ª edição da Expocitros, que ocorre entre os dias 4 e 7 de junho, em Cordeirópolis (SP). O evento, considerado um dos maiores de citricultura da América Latina, também comemora a 45ª Semana da Citricultura.

 

Durante os quatro dias do evento, os especialistas da empresa estarão presentes para destacar sua linha completa de produtos e serviços destinados à citricultura, bem como discutir os desafios enfrentados pelos produtores e oferecer orientações personalizadas sobre as melhores práticas de manejo para maximizar a produtividade e a sustentabilidade das operações no campo.

 

O agrônomo e gerente de Marketing Regional da IHARA, Marcos Vilhena, enfatiza a importância do evento para a indústria citrícola brasileira. “Estamos entusiasmados em participar da Expocitros e comprometidos em contribuir para o avanço da citricultura no Brasil, ajudando os agricultores a alcançar índices de produtividade mais competitivos e segurança no campo. Este é uma oportunidade única para os produtores se reunirem, compartilharem conhecimentos e experiências, além de explorarem soluções inovadoras que impulsionarão a produtividade e a sustentabilidade do setor.”

 

Tecnologia japonesa à serviço da citricultura brasileira

De acordo com levantamento do Serviço Estrangeiro Agrícola do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), estima-se que a colheita de laranjas no Brasil, considerado o maior produtor do mundo, alcance o patamar de 16,500 milhões de toneladas na safra de 2023/24, mesmo diante do clima desfavorável durante a floração. Já a safra global de laranja em 2023/24 deve atingir 48,8 milhões de toneladas.

 

Para que a produtividade da citricultura continue em alta nas próximas safras, os agricultores terão a oportunidade de conhecer o  FALCON, um herbicida para o controle de daninhas de folhas largas e estreitas com ação pré-emergente, longo residual, alta seletividade e que proporciona mais segurança para o manejo.

 

Na linha de acaricidas, o SANMITE EW apresenta alto efeito de choque, amplo espectro de ação e eficiência observada em todas as fases de desenvolvimento do ácaro, com destaque para o controle de Ácaro-da-leprose e Ácaro da ferrugem na cultura dos citros. O produto ainda é seletivo aos inimigos naturais e possui excelência no controle de ovos. Já o OKAY é um acaricida de alta velocidade, com ação de choque, que elimina rapidamente o ácaro-da-leprose. Graças ao seu efeito residual prolongado, Okay mantém sua lavoura saudável, com baixa população de ácaros.

 

“A IHARA está comprometida em oferecer soluções de ponta para auxiliar os citricultores a planejarem e tomarem as melhores decisões para a próxima safra, oferecendo o que há de mais moderno em tecnologia japonesa a serviço da agricultura brasileira”, afirma Vilhena.

 

Sobre a IHARA

A IHARA é uma empresa de pesquisa e desenvolvimento que há 59 anos leva soluções para a agricultura brasileira, setor no qual é reconhecida como fonte de inovação e tecnologia japonesa como uma marca que tem a credibilidade e a confiança dos seus clientes. A empresa conta com um portfólio completo de fungicidas, herbicidas, inseticidas, biológicos, acaricidas e produtos especiais somando mais de 80 soluções que contribuem para a proteção de mais de 100 diferentes tipos de cultivos, colaborando para que os agricultores possam produzir cada vez mais alimentos, com mais qualidade e de forma sustentável. Em 2022, a IHARA ingressou no segmento de pastagem, oferecendo soluções inovadoras para o pecuarista brasileiro. Para mais informações, acesse o site da IHARA. 

Desafios climáticos impactam diretamente no nível de açúcar do canavial, tornando o uso dessa tecnologia crucial para garantir a excelência da matéria-prima e maximizar o rendimento industrial

Para a safra 2024/2025 da cana-de-açúcar, os canavicultores já estão atentos aos indicadores de maturação, que hoje representam um dos principais desafios na produção do cultivo. Essa fase inicial do ano se destaca como o momento crucial para a aplicação de maturadores químicos, visando melhorar a qualidade e a rentabilidade da produção. O uso dessa tecnologia é ainda mais significativo diante das projeções da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) para esse ciclo, que apontam uma redução de 3,8% na produção de cana-de-açúcar em comparação com a safra anterior, totalizando 685,86 milhões de toneladas.

As altas temperaturas e os baixos índices pluviométricos, principalmente na região Centro-Sul, têm sido os principais responsáveis pelas perdas na produtividade. Estima-se que a produção atinja 79.079 kg/ha, o que representa uma queda de 7,6% em relação à safra anterior. Essas condições climáticas adversas têm um impacto direto na qualidade da matéria-prima, uma vez que a indústria sucroalcooleira não apenas depende da quantidade, mas também dos níveis de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) na planta para garantir um retorno econômico mais elevado.

Segundo o engenheiro agrônomo e gerente de Marketing Regional da IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento de defensivos agrícolas, Iuri Cosin, um dos principais desafios que preocupam os produtores é maximizar o potencial de maturação da cultura, o qual está intimamente ligado às condições climáticas. “Em situações em que o clima não favorece a maturação natural da cana-de-açúcar e o acúmulo de sacarose é inadequado, é recomendada a aplicação de maturadores. O uso dessa tecnologia pode ocorrer no início da safra para reduzir a taxa de crescimento vegetativo, durante o meio da safra para intensificar o processo de maturação em regiões com outono e inverno chuvosos, e no final da safra para evitar o retorno do crescimento vegetativo, mantendo elevado o teor de sacarose por um período mais longo e permitindo a colheita de matéria-prima de melhor qualidade”, destaca.

Portanto, o canavicultor precisa ter esse aliado para garantir que a planta atinja o seu potencial máximo, alcançando condições ideais para obter alta produtividade de colmos e altos teores de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR), que é o valor que importa no produto para a indústria. Nesse sentido, o Riper é um maturador sistêmico da IHARA, que atua na cana-de-açúcar promovendo a maturação, incrementando o teor de sacarose nos colmos e aumentando a produtividade de açúcar.

“Essa tecnologia apresenta características de rápida resposta e flexibilidade na aplicação, sendo viável sua aplicação tanto no início, meio ou final da safra, com uma janela de aplicação de 15 a 45 dias antes da colheita para otimizar a produção de Toneladas de Açúcar por Hectare (TAH) e aumentar os níveis de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) na planta, proporcionando um acréscimo de 6% a 8%. Essa valorização da qualidade pode resultar em um retorno financeiro até seis vezes o valor investido no produto”, explica Cosin.

Sobre a IHARA

A IHARA é uma empresa de pesquisa e desenvolvimento que há 59 anos leva soluções para a agricultura brasileira, setor no qual é reconhecida como fonte de inovação e tecnologia japonesa como uma marca que tem a credibilidade e a confiança dos seus clientes. A empresa conta com um portfólio completo de fungicidas, herbicidas, inseticidas, biológicos, acaricidas e produtos especiais somando mais de 80 soluções que contribuem para a proteção de mais de 100 diferentes tipos de cultivos, colaborando para que os agricultores possam produzir cada vez mais alimentos, com mais qualidade e de forma sustentável. Em 2022, a IHARA ingressou no segmento de pastagem, oferecendo soluções inovadoras para o pecuarista brasileiro. Para mais informações, acesse o site da IHARA.  

No estande da empresa, soluções e suporte personalizado serão oferecidos aos agricultores para impulsionar a produtividade agrícola na safra 2024/2025

A IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento de defensivos agrícolas, está empenhada em impulsionar o sucesso do agricultor na safra 2024/2025, marcando presença na edição especial de 15 anos da feira AgroBrasília, que ocorrerá entre os dias 21 e 25 de maio, no Distrito Federal. Com uma cultura de inovação enraizada em seu DNA, a empresa se destaca como uma ponte entre as tecnologias japonesas e o mercado brasileiro, oferecendo soluções completas para o sistema de cultivo de soja e milho, especialmente desenvolvidas para proteger as lavouras e maximizar a produtividade diante dos atuais desafios enfrentados pelo setor agrícola.

No estande da empresa, que remete à cultura japonesa, os visitantes terão a oportunidade de conhecer de perto as soluções tecnológicas para o manejo de pragas, doenças e plantas daninhas de difícil controle, sendo elas: na linha de inseticidas o ZEUS e o recém-lançamento TERMINUS, de fungicidas o FUSÃO EC  e de herbicidas o YAMATO SC.

Segundo o engenheiro agrônomo e gerente de Marketing Regional da IHARA, Valdumiro Garcia, nos últimos três anos, a IHARA tem se destacado como a empresa que mais lançou soluções de ponta, com a máxima eficácia em controle, segurança e sustentabilidade. “Nossa equipe trabalha incansavelmente para desenvolver soluções que atendam às necessidades dos agricultores brasileiros e nossos produtos são considerados referência pela qualidade e a eficácia no manejo completo de diversos cultivos. Por isso, estamos entusiasmados em participar da AgroBrasília e apresentar nossas últimas inovações, honrando o nosso compromisso com a produtividade e a rentabilidade dos agricultores”, enfatiza.

Soluções que protegem as lavouras e maximizam a produtividade

Para o manejo de percevejos Marrom e Barriga-Verde na cultura da soja, o agricultor poderá contar com os inseticidas ZEUS e TERMINUS, ambos com alta performance. Essas tecnologias potencializam os ingredientes ativos de suas formulações, garantindo maior poder de choque e residual do mercado nas culturas da soja e milho. O ZEUS também atua com eficácia no manejo da Cigarrinha do Milho.

Na linha de fungicidas, o FUSÃO EC se destaca por ter sido considerado o mais eficiente para o controle da Ferrugem da Soja, de acordo com avaliação realizada recentemente por pesquisadores do Consórcio Antiferrugem. Essa tecnologia apresenta alta eficácia para outras doenças da soja como Mancha Alvo e Antracnose. Com performance superior devido à sua formulação, o produto apresenta diversas vantagens como: facilidade de aplicação, sistematicidade, alta velocidade de absorção e de translocação pelas plantas, garantindo ação sistêmica mais rápida e por completo em toda a planta.

Outro destaque é o herbicida YAMATO SC, que traz uma tecnologia exclusiva de alta seletividade e longo residual para o controle pré-emergente das plantas daninhas de difícil controle na cultura da soja. Mantendo a planta no limpo por mais tempo e sem afetar a cultura subsequente, o YAMATO SC contribui significativamente para o cultivo sustentável da soja.

“A IHARA é reconhecida por estar ao lado do agricultor, oferecendo tecnologias de ponta que resolvem as problemáticas do campo e erradicam ao máximo as pragas, doenças e plantas daninhas resistentes, garantindo assim uma safra produtiva e rentável para o produtor rural”, conclui Garcia.

Sobre a IHARA

A IHARA é uma empresa de pesquisa e desenvolvimento que há 59 anos leva soluções para a agricultura brasileira, setor no qual é reconhecida como fonte de inovação e tecnologia japonesa como uma marca que tem a credibilidade e a confiança dos seus clientes. A empresa conta com um portfólio completo de fungicidas, herbicidas, inseticidas, biológicos, acaricidas e produtos especiais somando mais de 80 soluções que contribuem para a proteção de mais de 100 diferentes tipos de cultivos, colaborando para que os agricultores possam produzir cada vez mais alimentos, com mais qualidade e de forma sustentável. Em 2022, a IHARA ingressou no segmento de pastagem, oferecendo soluções inovadoras para o pecuarista brasileiro. Para mais informações, acesse o site da IHARA. 

Projeto, promovido pela IHARA, prestigia o trabalho dos produtores rurais, que cultivam a bebida mais amada do Brasil

Com o sucesso dos episódios da Websérie Agricultor Todo Dia, que retratam a cafeicultura brasileira, a paixão pelo café, uma das bebidas mais apreciadas do Brasil, ganha um novo motivo para ser celebrada. A IHARA, empresa de defensivos agrícolas, presta homenagem aos cafeicultores em projeto especial “Café Agricultor Todo Dia”, fabricado pela Cooperativa Cooxupé, que visa valorizar o trabalho árduo dos produtores rurais no cultivo do café, registrando a história de seis famílias, por meio de embalagens personalizadas.

“Essas histórias, transmitidas por meio da Websérie Agricultor Todo Dia, refletem a grandeza dos mais diversos cultivos produzidos no Brasil e, em especial, o do café e como a união de experiências e conhecimentos junto às cooperativas rende frutos maravilhosos. Agora com a edição Especial do Café Agricultor Todo Dia, queremos reconhecer e prestar mais uma homenagem aos cafeicultores que dedicam suas vidas a esse cultivo tão especial, além de oferecer aos consumidores uma bebida de qualidade produzida por essas famílias”, enfatiza o consultor de Comunicação de Produtos, Cristiano Santana.

Para o diretor de Marketing, Cultura e Acesso da IHARA, Rodrigo Lima, valorizar a cafeicultura não é apenas apreciar uma xícara de café, é reconhecer o empenho dos cafeicultores que dedicam suas vidas para cultivar essa preciosidade e garantir um futuro sustentável para toda a cadeia produtiva. “A cafeicultura não é apenas um cultivo; é uma tradição que merece ser reconhecida e preservada. Por isso, nós da IHARA, não medimos esforços para levar ao cafeicultor brasileiro o que há de mais inovador e eficiente em proteção de cultivos”, complementa Lima.

Para conhecer mais sobre o projeto Café Agricultor Todo Dia, confira no link: www.ihara.com.br/projetocafe

Histórias das famílias homenageadas nas embalagens

Família Araujo: seus avós iniciaram os trabalhos na cafeicultura e a paixão pela lavoura rende sorrisos a Luiz, que deixou sua carreira na odontologia para voltar ao que o faz feliz: o café. Tanto que ele tem se especializado cada vez mais em estudos para continuar o que os avós começaram, agora com mais tecnologia e sustentabilidade.

Família Cobra está na 5ª geração de produtores. Tudo começou com o tataravô, Venerando Ribeiro da Silva, filho de imigrantes portugueses, nascido em Baependi-MG, que chegou à região para o cultivo da terra e foi um dos fundadores de Mococa-SP, município vizinho à fazenda. Na propriedade, há boas práticas sustentáveis e espaço para a ciência com área destinada a pesquisas.

Família Costa produz cafés especiais há três décadas em altitudes superiores a 1.100 metros. Seguem critérios sustentáveis, fazem a proteção da lavoura e também contam com a ajuda do clima, favorável ao sabor e ao aroma peculiares de suas produções cafeeiras. Assim, a bebida tem ganhado destaque com notas superiores a 84 pontos na escala SCA.

 

Família Faria venceu os desafios que a área de Cerrado impõe na produção de café, pois ali não bastava a altitude que o cultivo requer, mas, sim, a atitude em adaptar-se, passando por um cultivo artesanal que daria o sabor especial à bebida e ao legado da família.

Família Ribeiro – Cláudia faz parte da terceira geração de uma família de cafeicultores e dá continuidade aos sonhos de seus avós, na Fazenda Roseirinha. Lá, produzem café premium de sabor e aroma únicos com um cultivo que segue receitas de família, sem deixar de acompanhar as novas tecnologias para aprimorar a qualidade da produção.

Família Souza – A paixão pelo cultivo de café passou de geração a geração. A lida diária leva o orgulho de oferecer um fruto de qualidade, que chega à mesa das pessoas como uma bebida premium de aroma e sabor inconfundíveis. A 1.100 metros de altitude, o clima é de amor à terra e ao planeta, com produção que respeita os parâmetros de sustentabilidade e usa tecnologias que dão gosto de trabalhar pelo cultivo que é bem brasileiro.

Produtividade do café em alta para safra 2024

O café não é apenas uma bebida, mas um símbolo da cultura nacional e mundial. Desde uma simples recepção até ambientes sofisticados, ele está presente, tornando-se um elemento essencial no dia a dia das pessoas. E não é à toa que produtividade desse cultivo vem crescendo a cada safra. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), a produção total da safra dos cafés do Brasil em 2024 deverá se confirmar como o ano de bienalidade positiva, com previsão estimada de 58,08 milhões de sacas de café beneficiado, o que representa 5,5% superior à produção de 2023.

Para que o cafeicultor consiga produzir cada vez mais e melhor, a IHARA investe no desenvolvimento de tecnologias disruptivas, contribuindo no controle dos principais alvos que acometem as lavouras. Nesse sentido, os produtores de café podem contar com o SPIRIT SC, desenvolvido com uma molécula inédita e exclusiva no Brasil, que alia inseticida e fungicida em um único produto. Além de proteger o cafezal contra o bicho-mineiro, o SPIRIT SC também combate a ferrugem e a cigarra-do-café, agregando valor em todo o ciclo produtivo.

Outro destaque da empresa é o FUSÃO EC, fungicida sistêmico para o controle da ferrugem no café, considerada a doença mais grave e prejudicial na lavoura cafeeira. O produto pode ser aplicado, inclusive, em pulverizações preventivas. Essa ferramenta também se apresenta como uma opção importante para o manejo de resistência, com desempenho superior ao existente no mercado ao oferecer alta velocidade de absorção.

Para o controle de plantas daninhas, o cafeicultor pode contar com duas tecnologias que compõem o portfólio dos “Herbicidas do Futuro IHARA”, sendo elas: FALCON, desenvolvido com a revolucionária tecnologia Yamato, oferecendo alta seletividade e longo residual. Graças à ação pré-emergente, controla as daninhas resistentes de folhas largas e estreitas antes mesmo de emergirem nas lavouras. Com essa inovação, a cultura já começa a se desenvolver no limpo, evitando a matocompetição inicial. Outro destaque dessa linha é o YAMATO, herbicida pré-emergente que controla diversas espécies de daninhas resistentes como capim-braquiária, capim-colchão, capim-amargoso, capim-colonião com alta seletividade e longo residual, sem prejudicar o cultivo.

Sobre a IHARA

A IHARA é uma empresa de pesquisa e desenvolvimento que há 59 anos leva soluções para a agricultura brasileira, setor no qual é reconhecida como fonte de inovação e tecnologia japonesa como uma marca que tem a credibilidade e a confiança dos seus clientes. A empresa conta com um portfólio completo de fungicidas, herbicidas, inseticidas, biológicos, acaricidas e produtos especiais somando mais de 80 soluções que contribuem para a proteção de mais de 100 diferentes tipos de cultivos, colaborando para que os agricultores possam produzir cada vez mais alimentos, com mais qualidade e de forma sustentável. Em 2022, a IHARA ingressou no segmento de pastagem, oferecendo soluções inovadoras para o pecuarista brasileiro. Para mais informações, acesse o site da IHARA.  

Mesmo diante de projeções otimistas, a atual safra do algodão é considerada uma das mais desafiadoras devido às condições climáticas e à forte incidência do Bicudo-do-algodoeiro em lavouras das principais regiões produtoras do cultivo

Com o plantio da safra 23/24 de algodão concluído, as projeções são bastante promissoras, pois espera-se uma colheita de 3,4 milhões de toneladas de pluma, o que representa um aumento de 5,9% em relação ao ciclo anterior, segundo dados recentes divulgados pela Agroconsult. A área plantada apresenta crescimento de 12,5% (1,89 milhões de hectares) e, em termos de produtividade, a estimativa também é positiva, com cerca de 121 arrobas de pluma e 298 arrobas de caroço de algodão por hectare. Para garantir uma colheita produtiva e de qualidade, os agricultores da Bahia e de Mato Grosso devem ficar atentos aos desafios no campo em meio a condições climáticas adversas e a forte incidência do Bicudo-do-algodoeiro, um dos principais alvos que acomete até 90% das lavouras.

Segundo o engenheiro agrônomo e gerente de Marketing Regional da IHARA, Roberto Rodrigues, a proliferação do Bicudo-do-algodoeiro foi ocasionada devido às populações tardias da safra anterior que se associaram a novas colônias, bem como condições climáticas adversas, que dificultaram o controle dessa praga. “Outros fatores agravantes estão atrelados ao aumento na área de cultivo de algodão no Brasil nesta safra e a sua alta capacidade de reprodução. Como resultado, todas as lavouras estão sendo impactadas pela evolução crescente do Bicudo-do-algodoeiro – inseto que ataca todo o ciclo reprodutivo da cultura, podendo comprometer a produção da lavoura quase que por completo se não tiver um manejo correto e eficiente”, ressalta Rodrigues.

Para contribuir com o cotonicultor no controle dessa praga, a IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento de defensivos agrícolas, apresenta o Chaser EW – solução inédita com ação inseticida e fungicida em um único produto – que emerge como uma estratégia para otimizar o manejo de pragas e doenças na lavoura ao possuir amplo espectro no controle de diversos alvos como Bicudo-do-algodoeiro, Ácaro Rajado, Ramulária e Pulgão. Outro ponto forte dessa tecnologia é a ação anti-feeding, que paralisa a alimentação das pragas de forma imediata.  O risco de resistência também é reduzido.

“As perdas causadas pelo ataque de pragas e doenças afetam não apenas os cotonicultores, mas também as pessoas que usam produtos à base de algodão. A falta de matéria-prima pode elevar o preço de uma infinidade de produtos, principalmente as roupas”, reforça o gerente de Marketing Regional.

Ensaios comprovam eficácia da tecnologia

O algodão é uma das principais commodities produzidas no Brasil, principalmente no Centro-Oeste, liderado por Mato Grosso (67% da produção) e Oeste da Bahia (22% da produção), porém está presente em mais 16 estados brasileiros. No entanto, o manejo de pragas ainda é uma das principais preocupações do cotonicultor brasileiro e importante entrave na escalada rumo a uma maior produtividade.

Para se ter uma ideia, para combater alvos como o Bicudo-do-algodoeiro e o complexo de lagartas, pulgões e ácaros, os produtores fazem uma média de 26 aplicações de inseticidas durante o ciclo da cultura. Em seguida, vem o investimento em fungicidas, adotado por 100% dos agricultores, com uma média de oito aplicações por ciclo. “O Chaser EW possibilita que o cotonicultor simplifique o manejo, utilizando um único produto que une ação inseticida e fungicida para combater múltiplos alvos com muito menos aplicações, contribuindo assim para o aumento da produção e melhorando a qualidade da fibra do algodão”, explica o gerente de Marketing Regional da IHARA.

Em ensaios realizados pelo Instituto Mato Grosso do Algodão, em lavouras da região, o Chaser EW apresentou alta eficácia no controle do Bicudo-do-algodoeiro e no combate a Ramulária. Outros ensaios foram conduzidos pela equipe de pesquisadores da IHARA em lavouras de Mato Grosso, Bahia e São Paulo, onde foram constatados resultados significativos no controle de outros alvos: Ácaro Rajado (81% de eficácia) e Pulgão (93%), por exemplo. Na região de Rio Verde (GO), a tecnologia apresentou 70% na performance de combate ao Ácaro Rajado.

“Com esses resultados, a IHARA reafirma seu compromisso com os cotonicultores em fornecer soluções inovadoras e eficazes para impulsionar a agricultura brasileira. Os produtores de algodão, por sua vez, ao utilizarem o Chaser EW podem enfrentar esses desafios com mais confiança, garantindo uma safra mais produtiva e maximizando o retorno sobre o investimento”, finaliza Rodrigues.

Sobre a IHARA

A IHARA é uma empresa de pesquisa e desenvolvimento que há 59 anos leva soluções para a agricultura brasileira, setor no qual é reconhecida como fonte de inovação e tecnologia japonesa como uma marca que tem a credibilidade e a confiança dos seus clientes. A empresa conta com um portfólio completo de fungicidas, herbicidas, inseticidas, biológicos, acaricidas e produtos especiais somando mais de 80 soluções que contribuem para a proteção de mais de 100 diferentes tipos de cultivos, colaborando para que os agricultores possam produzir cada vez mais alimentos, com mais qualidade e de forma sustentável. Em 2022, a IHARA ingressou no segmento de pastagem, oferecendo soluções inovadoras para o pecuarista brasileiro. Para mais informações, acesse o site da IHARA.

Cenário é desafiador para produtores do cultivo em Mato Grosso devido à alta incidência de Cigarrinha-do-milho e Percevejo barriga-verde

Para garantir uma colheita bem-sucedida, os produtores de milho no Mato Grosso têm enfrentado uma série de desafios fitossanitários, que vão desde as adversidades climáticas às principais ameaças no campo, com forte incidência de Cigarrinha-do-milho e Percevejo barriga-verde na atual safra.

O fenômeno climático El Niño elevou a temperatura no Centro-Oeste do País, contribuindo para o aumento da presença da Cigarrinha-do-milho, sendo um dos principais problemas enfrentados no campo atualmente já que ela pode reduzir em mais de 70% a produção de grãos em plantas suscetíveis. Os agricultores mato-grossenses também estão preocupados com a migração do Percevejo barriga-verde das lavouras de soja para as plantações de milho segunda safra. Essa praga se beneficiou dos restos culturais, fazendo-os como abrigo para escapar da aplicação de defensivos. Isso dificultou o seu controle e, consequentemente, favoreceu a sua proliferação. No médio-norte do estado, alguns produtores estimam perdas de até 30% na produção dos milharais, com danos que podem chegar a mais de 500 quilos por hectare a cada inseto por m².

Segundo o agrônomo e gerente de Marketing Regional da IHARA, Roberto Rodrigues, essas ameaças da produtividade do milho segunda safra têm causado dor de cabeça aos agricultores, mesmo que ainda seja cedo para afirmar o tamanho do estrago nas lavouras, mas o prejuízo já é visível em relação aos custos da produção. “Diante desse cenário, é essencial que os produtores estejam preparados e adotem estratégias de manejo eficientes e sustentáveis para garantir a qualidade dos grãos. Além disso, devem estar atentos às perspectivas de mercado para maximizar a produtividade e a rentabilidade no campo”, comenta.

Controle com inseticidas pode evitar prejuízos ainda mais significativos nas lavouras

O Brasil é um dos principais produtores de milho do mundo e para que o agricultor mantenha a alta produtividade no campo é necessário investir no manejo integrado de pragas, adotando o uso de inseticidas em pulverizações realizadas nos estágios de desenvolvimento da cultura. Esse tipo de controle ajuda a minimizar a ação da Cigarrinha-do-milho e Percevejo barriga-verde nos milharais, evitando danos ainda mais severos na produtividade.

De acordo com o pesquisador e professor Juliano Ricardo Farias, por ser a praga mais importante na cultura do milho, o Percevejo barriga-verde pode ocasionar uma devastação enorme, atingindo perdas de até 100% na lavoura caso não seja bem manejado. “Esse inseto é o que mais demanda investimento em controle já que o dano causado por ele é silencioso e menos visível quando comparado com outras pragas. Hoje, essa praga apresenta resistência em relação à maior parte dos inseticidas existentes no mercado. Então, os novos produtos e formulações, com certeza, auxiliam muito o produtor”, ressalta.

Nesse sentido, a IHARA, empresa especializada em tecnologia para proteção de cultivos, conta com o novo inseticida Terminus, lançado recentemente para o controle do Percevejo barriga-verde. Sua formulação inovadora potencializa o controle rápido e prolongado, além de ser flexível para o uso em todo o ciclo da cultura. E isso, aliado ao efeito de choque e elevado período de controle, coloca a lavoura no mais alto nível de controle de pragas.

Para o controle da Cigarrinha-do-milho e Percevejo barriga-verde, outro inseticida de ponta faz parte do portfólio da IHARA: Zeus, que apresenta ação translaminar e sistêmica, conferindo uma completa proteção das plantas contra essas pragas. Essa tecnologia age por contato e ingestão, levando os insetos à morte rapidamente. Também possui um efeito de choque e residual único, proporcionando alta eficácia nas lavouras. “A eficácia do Zeus no controle da Cigarrinha-do-milho, por exemplo, é impressionante quando comparada com testemunha, apresentando 61% de efetividade já no primeiro dia após a aplicação e de 57% após três dias da aplicação na lavoura”, finaliza Rodrigues.

Sobre a IHARA

A IHARA é uma empresa de pesquisa e desenvolvimento que há 59 anos leva soluções para a agricultura brasileira, setor no qual é reconhecida como fonte de inovação e tecnologia japonesa como uma marca que tem a credibilidade e a confiança dos seus clientes. A empresa conta com um portfólio completo de fungicidas, herbicidas, inseticidas, biológicos, acaricidas e produtos especiais somando mais de 80 soluções que contribuem para a proteção de mais de 100 diferentes tipos de cultivos, colaborando para que os agricultores possam produzir cada vez mais alimentos, com mais qualidade e de forma sustentável. Em 2022, a IHARA ingressou no segmento de pastagem, oferecendo soluções inovadoras para o pecuarista brasileiro. Para mais informações, acesse o site da IHARA. 

Condições climáticas juntamente com a incidência de pragas, doenças e plantas daninhas na soja comprometem de forma significativa produtividade e custo operacional da safra

 

A safra de soja atual tem enfrentado uma série de desafios que impactaram significativamente a produtividade e a qualidade do cultivo em diversas regiões do País, afetando diretamente os agricultores e as cadeias produtivas relacionadas. Condições climáticas adversas, juntamente com a incidência de pragas, doenças e plantas daninhas resistentes, são os principais fatores que afetaram as plantações do mais importante cultivo agrícola do Brasil.

 

Em razão do clima irregular ao longo do plantio e durante o desenvolvimento das lavouras, com altas temperaturas no Norte, Nordeste e Centro-Oeste e excesso de chuvas no Sul, o cenário de quebra de safra brasileira se consolidou de forma irreversível em praticamente todos os estados produtores. Além das questões climáticas, pesquisa realizada pela Agroconsult aponta que os sojicultores também enfrentaram alta infestação de pragas, com aumento de 40% de incidência de Percevejo-marrom e 29% de Mosca Branca, prejudicando não apenas a qualidade das sementes, mas reduzindo a produtividade com perdas de até 30% na colheita. Outros problemas podem estar relacionados à redução da produtividade como, por exemplo, as doenças fúngicas e a presença de plantas daninhas de difícil controle.

 

Segundo o pesquisador em entomologia, Clérison Perini, o Percevejo-marrom, por exemplo, se reproduz mais intensamente no desenvolvimento do cultivo, momento em que a praga tem alimento de qualidade. “É importante que o agricultor faça o monitoramento nesse período crítico para um melhor controle, pois essa praga causa danos significativos, com perdas de produtividade de mais de uma saca por hectare a cada inseto por m², reduzindo a qualidade de sementes e dos grãos”, explica.

 

“Esses desafios têm exigido dos agricultores a busca por soluções mais avançadas e sustentáveis para o manejo integrado na cultura da soja, visando mitigar os impactos negativos sobre a produção. Temos trabalhado arduamente para disponibilizar tecnologias inovadoras que possam ajudar os produtores no controle desses problemas no campo. Anualmente, temos investido mais de R$ 44 milhões em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos para oferecer soluções cada vez mais eficazes e sustentáveis”, explica o agrônomo e gerente de Marketing Regional da IHARA, Roberto Rodrigues.

 

Manejo de pragas entra em uma nova era na proteção do cultivo

 

Para a próxima safra, é fundamental que os sojicultores estejam preparados para lidar com os desafios nas lavouras e a adoção de defensivos agrícolas se torna cada vez mais essencial para garantir a produtividade e a segurança alimentar global.

 

De acordo com Perini, o manejo de pragas está entrando em uma nova era, com mais conhecimento sobre o comportamento desses insetos, os danos causados por eles e sua tolerância a determinados produtos. “Com base nessas informações, a indústria está desenvolvendo e disponibilizando novas formulações, com diferentes ingredientes ativos, que potencializam o efeito inseticida, garantindo um melhor controle desses detratores de produtividade”, reforça o pesquisador em etimologia.

 

Uma inovação recente ofertada pela IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento de defensivos agrícolas, é o TERMINUS, que oferece alta performance ao potencializar os ingredientes ativos contra o Percevejo-marrom, garantindo maior poder de choque e residual prolongado do mercado. Com duas aplicações em um intervalo de sete dias, essa nova solução reduz significativamente a densidade populacional do inseto, ficando abaixo dos níveis de causar danos às plantações.

 

Outro importante inseticida contra percevejos é o ZEUS, que apresenta ação translaminar e sistêmica, conferindo uma completa proteção das plantas. Além disso, age por contato e ingestão, levando as pragas à morte rapidamente. Seu efeito de choque e residual proporciona resultados eficientes nas lavouras. “É um produto muito bom e fiquei impressionado com a sua eficácia. Em apenas 20 minutos, percebemos que os percevejos estavam todos mortos ou paralisados”, relata o produtor de soja da região de São João/PR, Everton Strapasson.

 

Controle de doenças e plantas daninhas aumenta produtividade no campo

 

É fundamental que o agricultor invista no manejo integrado e, sobretudo, preventivo também quando se trata de doenças que acometem o cultivo. Para se ter uma ideia, a Ferrugem Asiática é uma das principais razões para a quebra de produção no País por devastar até 90% de uma lavoura de soja; a Mancha Alvo, especialmente no Cerrado brasileiro tem causado perdas significativas nas plantações; o Mofo Branco, principalmente em regiões de maior altitude, tem permanecido no solo por longos períodos esperando uma condição adequada para se desenvolver em safras futuras; e mais recentemente, a Anomalia da Soja, também conhecida como podridão das vagens e de grãos da soja, se instalou incialmente na região médio norte de Mato Grosso e já tem se espalhando para outras áreas produtoras do Brasil.

 

O gerente de Marketing Regional da IHARA ressalta que a empresa tem estado bastante próxima os sojicultores nas regiões afetadas, levando ao campo fungicidas comprovados e atestados por pesquisadores renomados do mercado, como os produtos FUSÃO EC, ABSOLUTO FIXSUGOY e ROMEO SC.

 

Para o controle da Ferrugem Asiática, o fungicida líder em eficiência é o FUSÃO EC, aliado ao fungicida protetor ABSOLUTO FIX, ambos atestados por uma equipe de especialistas de fitopatologia do Consórcio Antiferrugem, que realizaram diversos testes em diferentes regiões produtoras de soja do Brasil. O fungicida FUSÃO EC alcançou índice médio de 74% de efetividade em associação com fungicida protetor. Essa tecnologia também apresenta alta eficácia para outras doenças da soja como Mancha Alvo e Antracnose.

 

Na linha de fungicidas biológicos, os agricultores podem contar com o Romeo SC, que demonstra desempenho significativo nas lavouras de soja. Em 220 áreas, localizadas em 107 municípios onde ocorreram aplicações na safra 21/22, o agricultor teve um rendimento médio de 4,0 sacas a mais por hectare. Quando o foco é direcionado ao combate de doenças, o ganho de produtividade foi notável, possibilitando um aumento de 15% no controle da Ferrugem Asiática, por exemplo.

 

Para o manejo da Anomalia da Soja, o agricultor pode contar com a tecnologia comprovada do SUGOY. Em estudo realizado recentemente pela Rede da Podridão das Vagens, com nove instituições diferentes, o produto, quando comparado com a testemunha, apresentou alta eficiência, redução da incidência da doença, menor percentual de grãos avariados e níveis superiores em produtividade, recebendo qualificação máxima em termos de controle.

 

Outro desafio enfrentado pelos sojicultores está relacionado ao combate das plantas daninhas. Para atender essa demanda, o herbicida YAMATO SC foi desenvolvido com uma tecnologia exclusiva de alta seletividade e longo residual no controle pré-emergente, mantendo a plantação no limpo por mais tempo e sem afetar a cultura subsequente.

 

“Para proteger as próximas safras e garantir a viabilidade econômica das lavouras de soja, o produtor deverá contar com acompanhamento técnico especializado, que dará o suporte necessário, visando com que os desafios específicos de cada região e em cada ciclo do cultivo sejam enfrentados com as melhores práticas de manejo e tecnologias disponíveis”, finaliza Rodrigues.

 

Sobre a IHARA

A IHARA é uma empresa de pesquisa e desenvolvimento que há 59 anos leva soluções para a agricultura brasileira, setor no qual é reconhecida como fonte de inovação e tecnologia japonesa como uma marca que tem a credibilidade e a confiança dos seus clientes. A empresa conta com um portfólio completo de fungicidas, herbicidas, inseticidas, biológicos, acaricidas e produtos especiais somando mais de 80 soluções que contribuem para a proteção de mais de 100 diferentes tipos de cultivos, colaborando para que os agricultores possam produzir cada vez mais alimentos, com mais qualidade e de forma sustentável. Em 2022, a IHARA ingressou no segmento de pastagem, oferecendo soluções inovadoras para o pecuarista brasileiro. Para mais informações, acesse o site da IHARA.

No estande da empresa, soluções e suporte personalizado serão oferecidos aos agricultores para maximizar a produtividade agrícola

 

A IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento de defensivos agrícolas, estará mais uma vez presente na Expodireto Cotrijal, que ocorrerá entre os dias 4 e 8 de março em Não-Me-Toque (RS). Com um estande repleto de inovação e soluções, a IHARA promete uma experiência única aos agricultores, oferecendo não apenas produtos, mas também todo o suporte necessário para uma tomada de decisão precisa em todas as fases do manejo das culturas de soja e milho.

 

O estande da empresa remete à cultura japonesa, um espaço onde os visitantes serão recebidos com o “Jeito IHARA de Ser”, uma abordagem consultiva focada em entender as necessidades específicas das lavouras. O time comercial estará disponível para ouvir os desafios enfrentados pelos agricultores no dia a dia e propor soluções adequadas, destacando o portfólio de produtos da empresa, incluindo o recém-lançado inseticida TERMINUSo fungicida FUSÃO EC  e herbicida YAMATO SC, todos aplicados em campos demonstrativos na feira.

 

De acordo com o agrônomo e gerente de Marketing Regional da IHARA, João Tomás, a IHARA está comprometida em oferecer não apenas produtos de alta tecnologia, mas também um atendimento completo para os agricultores. “Queremos estar ao lado do agricultor, mostrando de perto as tecnologias que resolvem as problemáticas do campo e erradicam ao máximo as pragas, doenças e plantas daninhas resistentes para que ele tenha uma safra produtiva e rentável”, afirma.

 

Hora H da Prosa e experiência completa são as novidades no estande

 

Um dos diferenciais do estande nessa edição é o Hora H da Prosa, que contará com a participação do ator Guito – nome artístico de Diogo Brito – um dos grandes destaques da novela Pantanal. Ele fará um bate-papo com representantes de cooperativas e agricultores, no dia 6 de março, no estande da empresa. Todo o conteúdo será transmitido em tempo real nas redes sociais da IHARA e no perfil do próprio artista. Quem tiver interesse poderá interagir, enviando comentários e perguntas nesses canais. Guito e a equipe técnica da empresa responderão via stories no Instagram.

 

A empresa também proporcionará uma experiência completa aos agricultores, incluindo uma dinâmica social com propósito no final da feira e um “Circuito Técnico” que oferecerá informações detalhadas sobre as soluções da empresa em cada etapa do manejo das culturas. O agricultor percorrerá alguns pontos de parada, como parede fenológica, estações demonstrativas de fungicidas, inseticidas e herbicidas e Cultivida, com foco no uso correto e seguro. Em cada uma das estações, o agricultor poderá consultar diversos conteúdos técnicos, materiais que poderão ser encaminhados para o e-mail do visitante, visando proporcionar uma melhor experiência na hora da tomada de decisão. No final, ele poderá participar de um game, concorrendo a brindes.

 

Tecnologias de vanguarda para manejo eficiente na cultura da soja e milho

 

A IHARA é reconhecida pelos agricultores por seu portfólio robusto, que conta com soluções de ponta, máxima eficácia em controle e em produtividade, segurança e sustentabilidade na produção agrícola. Durante a Expodireto Cotrijal, os produtores rurais terão a oportunidade de conhecer de perto as tecnologias de vanguarda de seu portfólio, incluindo o recém-lançamento TERMINUS, um inseticida que oferece alta performance contra as principais pragas na soja como os percevejos Marrom e Barriga-Verde. Essa tecnologia potencializa os ingredientes ativos e garante maior poder de choque e residual do mercado.

 

Na linha de fungicida, a empresa apresenta o FUSÃO EC, reconhecido recentemente por pesquisados do Consórcio Antiferrugem por sua eficácia no controle da ferrugem da soja, além de apresentar alta eficácia para outras doenças da soja como Mancha Alvo e Antracnose. Essa solução se destaca por sua formulação, que traz uma combinação inédita e sinérgica entre dois ativos centrais que potencializam sua atuação, pela sua facilidade de aplicação e sistematicidade. A absorção veloz do produto pela planta antes que a chuva o lave é um ponto importante para sua boa performance. O produto é uma tecnologia totalmente nova e exclusiva da IHARA.

 

Para o manejo de plantas daninhas de difícil controle, a IHARA destaca no evento o herbicida YAMATO SC. O produto revolucionou o manejo na cultura do trigo e, agora, vem para contribuir no cultivo da soja. Com uma tecnologia exclusiva de alta seletividade e longo residual para o controle pré-emergente das plantas daninhas, essa solução esgota a energia da soja, sendo capaz de reduzir drasticamente o rendimento de grãos, mantendo a planta no limpo por mais tempo e sem afetar a cultura subsequente.

 

“A IHARA vem trabalhando incansavelmente para oferecer tecnologias de ponta oriundas do Japão, que é o maior polo de moléculas agrícolas do mundo, adaptando-as à realidade da agricultura brasileira. A equipe de pesquisa e desenvolvimento da empresa tem se dedicado para desenvolver soluções inovadoras que atendam às necessidades dos agricultores e contribuam para o aumento da produtividade e sustentabilidade no setor agrícola”, destaca o gerente de Marketing Regional da empresa.

 

Sobre a IHARA

 

A IHARA é uma empresa de pesquisa e desenvolvimento que há 59 anos leva soluções para a agricultura brasileira, setor no qual é reconhecida como fonte de inovação e tecnologia japonesa como uma marca que tem a credibilidade e a confiança dos seus clientes. A empresa conta com um portfólio completo de fungicidas, herbicidas, inseticidas, biológicos, acaricidas e produtos especiais somando mais de 80 soluções que contribuem para a proteção de mais de 100 diferentes tipos de cultivos, colaborando para que os agricultores possam produzir cada vez mais alimentos, com mais qualidade e de forma sustentável. Em 2022, a IHARA ingressou no segmento de pastagem, oferecendo soluções inovadoras para o pecuarista brasileiro. Para mais informações, acesse o site da IHARA.

Em seu estande, IHARA propõe experiência completa ao agricultor para contribuir com a melhor tomada de decisão em todas as fases do manejo do seu cultivo

Com a hospitalidade japonesa Omotenashi – que se traduz na atitude de receber e servir bem, baseada na transparência e na satisfação dos clientes, a IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento de defensivos agrícolas, estará presente em mais uma edição do Show Rural Coopavel, que ocorrerá entre os dias 5 e 9 de fevereiro, em Cascavel (PR).

Os visitantes serão recebidos no estande com o “Jeito IHARA de Ser” a campo, ou seja, por um time comercial consultivo voltado para entender e atender as necessidades das lavouras, ouvindo os problemas do dia a dia, propondo as melhores soluções para o manejo adequado em todo o ciclo da cultura da soja e do milho, esclarecendo as dúvidas sobre os principais alvos nas últimas safras e mostrando os principais benefícios do portfólio de soluções da empresa, com destaque para o inseticida recém-lançado TERMINUSo fungicida FUSÃO EC  e herbicida YAMATO SC,  que foram aplicados nos campos demonstrativos expostos na feira.

Segundo o agrônomo e Gerente de Marketing Regional, João Tomás, a IHARA quer oferecer, além de suas soluções, todo o suporte que o agricultor precisa para a melhor tomada de decisão na hora do manejo de seu cultivo. “Na IHARA trabalhamos com a melhor tecnologia oriunda do Japão, que é o maior polo de moléculas agrícolas do mundo, adaptando-as à realidade da agricultura brasileira. Mas não queremos apenas ofertar as melhores soluções e, sim, estar ao lado do agricultor, mostrando de perto as tecnologias que resolvem as problemáticas do campo e que erradicam ao máximo as pragas, doenças e plantas daninhas resistentes. É exatamente isso que pretendemos fazer na Show Rural Coopavel por meio de um circuito experimental preparado especialmente para o evento”, afirma.

Experiência completa para o agricultor

Nesta edição da Show Rural Coopavel, a IHARA proporcionará uma experiência completa ao agricultor, que ao entrar no estande será convidado para a dinâmica “Tirando o Chapéu para IHARA”, que terá um propósito social no final da feira. Em seguida, o produtor poderá participar do “Circuito Técnico”, no qual ganhará um passaporte contendo o roteiro a ser seguido e os pontos de parada, sendo eles: parede fenológica, estação demonstrativa fungicida, estação demonstrativa inseticida, estação demonstrativa herbicida e Cultivida com foco no uso correto e seguro. Nas estações de soluções IHARA, o agricultor poderá consultar diversos conteúdos técnicos, como vídeos, bulas, apresentações e folhetos, materiais que poderão ser encaminhados para o e-mail do visitante para que tenha em mãos as informações adequadas no momento de tomada de decisão para o manejo do seu cultivo.

A cada parada, o participante receberá um carimbo em seu passaporte e, ao completar todo o percurso, terá a chance de participar do Game, concorrendo a brindes. “O Game consiste em escolha a opção correta entre os três produtos: Fusão, Terminus e Yamato. O agricultor será pontuado a cada resposta correta concedida em menor tempo e terá direito a um brinde de acordo com a sua classificação”, enfatiza Tomás.

Soluções eficientes para o manejo de pragas, doenças e plantas daninhas

Nos últimos anos, a equipe de pesquisa e desenvolvimento da IHARA tem se dedicado para desenvolver soluções inovadoras que atendam às necessidades dos agricultores e contribuam para o aumento da produtividade e sustentabilidade no setor agrícola. Como a inovação está no DNA da empresa, os visitantes terão a oportunidade de conhecer de perto as tecnologias disruptivas de seu portfólio para o cultivo da soja e do milho. Uma delas é o TERMINUS, um inseticida de alta performance e poder contra percevejos Marrom e Barriga-Verde nas culturas da soja e milho, oferecendo uma formulação inovadora, que potencializa os ingredientes ativos e garante o maior poder de choque e residual do mercado. Sua exclusiva tecnologia OD aumenta o calibre de proteção das moléculas, proporciona uma maior aderência nas folhas e sua formulação líquida (Dispersão de Óleo) oferece melhor proteção das gotas contra as intempéries climáticas, além de aumentar a velocidade de penetração do inseticida na planta, proporcionando melhor eficácia contra essas pragas.

Outro destaque será o fungicida FUSÃO EC, considerado mais eficiente para o controle da ferrugem da soja, que foi recentemente reconhecido por pesquisadores do Consórcio Antiferrugem. Essa tecnologia também apresenta alta eficácia para outras doenças da soja como Mancha Alvo e Antracnose. Com performance superior devido à sua formulação inovadora, se destaca pela sua facilidade de aplicação e sistematicidade. Outro diferencial do produto é a alta velocidade de absorção e de translocação pelas plantas, garantindo ação sistêmica mais rápida e por completo, em toda a planta, uma característica importante do FUSÃO EC, já que os períodos de aplicação do fungicida são quase sempre de chuva. A absorção veloz do produto pela planta antes que a chuva o lave é um ponto importante para sua boa performance. O produto recebeu este nome exatamente por trazer uma combinação inédita e perfeitamente sinérgica entre dois ativos centrais, o que potencializa sua atuação e, ao mesmo tempo, se traduz em uma tecnologia totalmente nova e exclusiva da IHARA.

Além dessas tecnologias, o agricultor poderá conhecer o herbicida YAMATO SC, uma solução que revolucionou o manejo de plantas daninhas na cultura do trigo e, agora, veio para contribuir no controle de plantas de difícil controle no cultivo da soja. Foi desenvolvido com uma tecnologia exclusiva com alta seletividade e longo residual para o controle pré-emergente das plantas daninhas, que esgotam a energia da soja e são capazes de reduzir drasticamente o rendimento de grãos, mantendo a planta no limpo por mais tempo e sem afetar a cultura subsequente.

“A IHARA é reconhecida pelos agricultores por seu portfólio robusto, que conta com tecnologia de ponta, máxima eficácia em controle e em produtividade, segurança e sustentabilidade na produção agrícola. Atualmente, temos mais de 80 soluções para mais de 100 diferentes tipos de culturas a fim de ajudar os agricultores nos principais desafios no campo”, reforça o gerente de Marketing Regional da empresa.

Sobre a IHARA

A IHARA é uma empresa de pesquisa e desenvolvimento que há 59 anos leva soluções para a agricultura brasileira, setor no qual é reconhecida como fonte de inovação e tecnologia japonesa como uma marca que tem a credibilidade e a confiança dos seus clientes. A empresa conta com um portfólio completo de fungicidas, herbicidas, inseticidas, biológicos, acaricidas e produtos especiais somando mais de 80 soluções que contribuem para a proteção de mais de 100 diferentes tipos de cultivos, colaborando para que os agricultores possam produzir cada vez mais alimentos, com mais qualidade e de forma sustentável. Em 2022, a IHARA ingressou no segmento de pastagem, oferecendo soluções inovadoras para o pecuarista brasileiro. Para mais informações, acesse o site da IHARA.  

Utilização da tecnologia Viviful SC, desenvolvida pela IHARA, permite o aumento de áreas de cultivo da fruta, além de evitar perdas no pós-colheita.

Na busca incessante por métodos que otimizem a produção agrícola, a utilização de fitoreguladores – ou reguladores de crescimento na cultura de maçã tem se destacado como uma estratégia eficaz. Essa tecnologia visa equilibrar o desenvolvimento vegetativo da macieira, assegurando uma produção de frutos de alta qualidade, além de aumentar a produtividade.

Segundo o engenheiro agrônomo e gerente de Marketing Regional da IHARA, Marcos Vilhena, a macieira, quando não gerenciada adequadamente, tende a apresentar um crescimento vegetativo excessivo, competindo diretamente com o desenvolvimento dos frutos. “Esse desequilíbrio compromete a frutificação e limita a capacidade de crescimento e qualidade dos frutos. Nesse contexto, os reguladores de crescimento surgem como aliados cruciais para os agricultores, desempenhando um papel fundamental no retardamento do crescimento dos ramos, indução floral mais homogênea e melhoria na penetração da luz. Além disso, seus benefícios abrangem ainda o aumento da frutificação, por meio da qualidade e vigor das gemas, maior equilíbrio entre as partes produtiva e vegetativa, uniformidade no tamanho dos frutos, redução significativa nos custos com podas, chegando a até 80%, e aumento expressivo na produtividade”, enfatiza Vilhena.

Para ajudar o agricultor a ter mais rentabilidade no campo, a IHARA, empresa especializada em tecnologia para proteção de cultivos, tem em seu portfólio a tecnologia Viviful SC como uma solução altamente eficiente para a cultura da maçã. Este regulador de crescimento tem se destacado ao proporcionar ganhos expressivos de até 30% em produtividade, mas com especial destaque para a qualidade alcançada nos frutos, em tamanho, coloração e valor de comercialização, contribuindo assim para uma maior eficiência do pomar.

O engenheiro agrônomo e gerente de Marketing Regional enfatiza ainda que na produção de maçãs, diferentemente de muitas culturas, o excesso de frutas por planta pode prejudicar a produtividade e a qualidade do fruto. “A poda, aliada ao uso de reguladores de crescimento, emerge como uma estratégia importante. Uma melhor arquitetura de ramos aliada a um melhor pegamento de floração, contribui para o equilíbrio da planta, favorecendo a incidência de luminosidade e garantindo alta produtividade com frutos de qualidade”, explica.

Para evitar perdas no pós-colheita é essencial que o agricultor adote boas práticas agrícolas. Dentre elas, destacam-se o controle de plantas invasoras, limpeza dos pomares, manuseio adequado dos frutos, e medidas para evitar desequilíbrios de nutrientes que reduzem infestação e infecção por fungos nos pomares. “A combinação de reguladores de crescimento, como o Viviful SC, com boas práticas de manejo, emerge como um caminho promissor para produtores de maçã, proporcionando não apenas ganhos de produtividade, mas também assegurando a qualidade dos frutos e minimizando perdas pós-colheita. A adoção dessas tecnologias de ponta representa um avanço significativo no setor, promovendo uma agricultura mais eficiente e sustentável”, finaliza Vilhena.

Sobre a IHARA

A IHARA é uma empresa de pesquisa e desenvolvimento que há 59 anos leva soluções para a agricultura brasileira, setor no qual é reconhecida como fonte de inovação e tecnologia japonesa como uma marca que tem a credibilidade e a confiança dos seus clientes. A empresa conta com um portfólio completo de fungicidas, herbicidas, inseticidas, biológicos, acaricidas e produtos especiais somando mais de 80 soluções que contribuem para a proteção de mais de 100 diferentes tipos de cultivos, colaborando para que os agricultores possam produzir cada vez mais alimentos, com mais qualidade e de forma sustentável. Em 2022, a IHARA ingressou no segmento de pastagem, oferecendo soluções inovadoras para o pecuarista brasileiro. Para mais informações, acesse o site da IHARA.  

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio