Brusone

Pyricularia oryzae
A brusone, causada pelo fungo Magnaporthe oryzae (sinonímia Pyricularia oryzae), é considerada a doença mais destrutiva da cultura do arroz, causando perdas de produtividade que podem chegar a 100%.
Baixar ficha técnica

CARACTERÍSTICAS

 

A coloração da colônia do fungo Magnaporthe oryzae varia de branco-oliva a cinza e a parte aérea apresenta pouco micélio, constituído por hifas septadas. Os conídios produzidos são piriformes, obclavados, com a base circular e o ápice fino.

 

CICLO REPRODUTIVO

 

O ciclo de vida da Magnaporthe oryzae tem início com a produção dos esporos, geralmente liberados e disseminados durante a noite. Depois de fixados no hospedeiro, os conídios germinam e formam o tubo germinativo. Após 72 horas da inoculação, as lesões começam a aparecer e crescem em tamanho e número até coalescerem. 

 

DANOS À LAVOURA

 

O patógeno produz lesões em folhas, colmos, panículas e grãos. As manchas nas folhas reduzem a área fotossintética, o que prejudica o enchimento dos grãos. Em situações de ataques severos, a brusone pode causar a morte das plantas.

 

CONTROLE E MANEJO

 

O controle da brusone deve ser feito de forma preventiva adotando-se o manejo integrado da doença, que requer um conjunto de práticas que tem como componentes a resistência genética das cultivares, as práticas culturais e o controle químico.

 

IMPACTOS NA SOCIEDADE

 

Mundialmente, a brusone é a doença que causa maiores danos à produtividade e à qualidade dos grãos de arroz, tanto no cultivo de terras altas como no irrigado, causando danos econômicos ao produtor e ameaçando a segurança alimentar global.

 

Fonte: Embrapa

 

Newsletter

Cadastre-se aqui para receber notícias do agronegócio